Ex-residentes das margens do Iguaçu formalizam escritura no Moradias Trevisan


Processo de regularização, via a Cohapar e Prefeitura de São José dos Pinhais, demorou 20 anos

Blog Single Outros contratos estão previstos em demais processos (Foto Cohapar)
Neste fim de ano, 69 famílias se tornaram oficialmente residentes no Moradias Trevisan, em São José dos Pinhais, por meio de regularização da Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar) e Prefeitura. Os títulos de propriedade dos terrenos, em processo que demorou duas décadas, permitem recebimento de obras de melhorias em infraestrutura e urbanização. Segundo a Cohapar, outras 32 famílias devem formalizar em outros processos.

A área do Moradias Trevisan foi adquirida pelo Governo do Paraná em 1998 para realocação de famílias que moravam às margens dos rios que compõem a Bacia do Iguaçu. O trâmite de regularização fundiária foi interrompido devido a entraves jurídicos e retomado pela Cohapar após a solução legal do problema.

O técnico em manutenção automotiva Marcelo Kaminski, de 41 anos, mora no Moradias Trevisan desde 1999. Ele foi um dos beneficiados e conta que pode viajar tranquilo para as festas de fim ano com a sua casa regularizada e documentos em mãos. “Estava extremamente ansioso por essa documentação. Agora a palavra do momento é euforia. Eu e minha família estamos muito felizes em saber que somos donos do imóvel”, diz Marcelo Kaminski.


Novos contratos
De acordo com a Cohapar, a instituição têm ao todo 380 terrenos cadastrados para regularização, dos quais 252 já estão registrados. Dos 128 contratos remanescentes, 32 já estão em processo de documentação. A regularização dos terrenos é divida em etapas, com prioridade para o atendimento dos moradores originais da localidade. Os beneficiados têm prazo de 120 meses para quitação das parcelas referente ao serviço de regularização, cujos valores variam de acordo com a metragem dos terrenos e avaliação comercial dos imóveis.

PautaSJP.com e informações Cohapar

Compartilhe esta notícia no Facebook: