Museu Atílio Rocco traz exposição sobre negros são-joseenses


Cidade com grande presença de portugueses, italianos, poloneses e ucranianos também possui comunidade afrodescendente

Blog Single Monumento Largo da Carioca do artista Roney Erthal no centro da cidade em homenagem aos negros
O Dia Nacional da Consciência Negra é celebrado, no Brasil, em 20 de novembro. Boa parte da população é formada por negros. Quando os descendentes, sendo os mulatos, entram na conta do IBGE, cerca de 50%, mais de 100 milhões de habitantes apresentam a descendência direta e indireta. O Sul do Brasil, e também São José dos Pinhais, tem predominância de brancos. O município são-joseense, fundado por imigrantes italianos, poloneses, portugueses e ucranianos, possui uma comunidade negra atuante na cultura e cidadania em geral, conforme proposta da Secretaria Municipal de Cultura, por meio da exposição “Identidade Negra: Trajetórias AfroSão-Joseenses”, que abre dia 20 às 14h no Museu Atílio Rocco.

Segundo a coordenadora administrativa do Museu, Erica Gondro, a mostra traz fotos, depoimentos, objetos e documentos que valorizam o trabalho, a sabedoria, a religiosidade e a cultura de personagens recentes e de longa data na cidade.

“Pessoas que tiveram e tem papel fundamental no desenvolvimento socioeconômico, tais como Serafim Machado, João Fagundes Machado, Maestro Chiquinho, Nhá Galeana, Marco Rosa, entre tantos outros nomes do passado e do presente”, diz Erica Gondro. A exposição ainda aborda profunda influência africana na música, na religião, na culinária e no idioma no Brasil.


Serviço
Identidade Negra: Trajetórias AfroSão-Joseenses
20/11 às 14h abertura no Museu Municipal Atilio Rocco
às 15h apresentação Capoeira Brasil
21/11 das 9h às 14h ação educativa com escolas
22/11 às 9h ação educativa com escolas
23/11 às 13h apresentação grupo Usina da Percussão

PautaSJP.com

Mais imagens desta notícia

Compartilhe esta notícia no Facebook: