Mais de 30 mulheres da região do Miringuava fazem oficina de empreendedorismo ambiental


Encontro, como parceria entre a Sanepar e a The Nature Conservancy Brasil, ocorreu na Estância Carmello, área rural de São José dos Pinhais

Blog Single Explanações sobre negócios e sustentabilidade apresentaram novas oportunidades
O empreendedorismo ambiental feminino foi tema de oficina e palestra no último sábado (22), na Estância Carmello, na área rural de São José dos Pinhais, pousada localizada ao lado de obra da Barragem do Miringuava. A Bacia do Rio Miringuava vai abrigar a futura represa da Sanepar que terá capacidade de ampliação do abastecimento nas cidades do Sul para 38 bilhões de litros de água, até o ano de 2030. Mais de 30 mulheres que residem na região participaram do encontro na pousada durante evento em parceria da Sanepar com a The Nature Conservancy Brasil.

Entre as explanações de sensibilização de novos negócios, o bate papo com Christiane Arcega. “A reciclagem vai muito além de um novo destino a produtos que podem ser reutilizados, como as bijuterias feitas com fones de ouvido estragados”, mostrou Christiane Arcega, criadora da empresa VLuxo Concept & Design.

Mariza Alves Ribeiro é proprietária de chácara de sete alqueires onde planta verduras há oito anos. “Foi uma manhã bem interessante em que fizemos amizades e conhecemos várias alternativas e novas oportunidades”, elogiou Mariza Ribeiro. Para a responsável pela Estância Carmello, Sônia de Paula, foi uma reunião inesquecível. “Grande prazer em receber tantas empreendedoras comprometidas com o bem estar de suas famílias e com o Meio Ambiente”, acrescentou Sônia de Paula.

“Trata-se de uma obra muito complexa, de forma que as moradoras do entorno podem ter apoio no fortalecimento do potencial feminino, gerando integração nas comunidades e renda”, disse a gestora socioambiental da Sanepar, Daisy Mara Jayme.

Marilia Borgo coordena projetos de conservação em diferentes bacias pelo Brasil. “Seja aqui em São José dos Pinhais ou na Amazônia, notamos um grande engajamento das mulheres nas parcerias locais, contribuindo para a conservação efetiva dos rios”, falou a bióloga da The Nature Conservancy Brasil, instituição desde 1988 no País, desenvolvendo projetos nos principais biomas brasileiros. A oficina também teve explanação de Sueli Ota, da Taoway - Sustentabilidade Socioambiental.


Barragem
O projeto da Barragem do Rio Miringuava faz parte do Plano Diretor SAIC – Sistema de Abastecimento de Água Integrado de Curitiba e Região Metropolitana, para garantir o suprimento de água de São José e outras cidades do Sul da Capital, como Fazenda Rio Grande. Nas fases anteriores, ocorreram as desapropriações de chácaras. Atualmente, encontra-se na etapa de finalização da construção para abertura das comportas e alagamento.


Obra
Quando ficar pronta, a Barragem do Miringuava vai garantir o atendimento à demanda por água tratada dos moradores da Região Metropolitana de Curitiba (RMC). O valor total do empreendimento é de R$ 87,8 milhões. A altura da barragem será de 24 metros, equivalente a um prédio de oito andares, com extensão de 309 metros. A bacia hidrográfica é utilizada como manancial de abastecimento público há mais de 30 anos, com a captação de água direta do rio. Atualmente, o sistema Miringuava, incluindo a Estação de Tratamento de Água, vem tratando menos de mil litros de água por segundo. Com a conclusão da barragem, o sistema terá dobrada a capacidade, passando a dispor de dois mil litros por segundo.

PautaSJP.com

Mais imagens desta notícia

Compartilhe esta notícia no Facebook: