São José dos Pinhais faz parte da


Cidade tem 58% de cobertura florestal e está no novo projeto de criação da maior reserva de Mata Atlântica do mundo, iniciativa da Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem (SPVS)

Blog Single A Estrada Velha da Guaricana, área com trechos bem preservados, permeia diferentes locais do Parque Nacional Guaricana (foto Gabriel Moro)
Com mais de 900 km², São José dos Pinhais ainda possui 58% de cobertura de florestas, conforme o Inventário Florestal Nacional 2018, edição em formato de revista produzida com apoio técnico da Secretaria de Estado do Meio Ambiente. Comparativamente, a capital Curitiba é apontada em 18% de cobertura florestal. A Mata Atlântica de São José faz parte de um contínuo verde dentro da Região Metropolitana, próxima das divisas com os estados de São Paulo e Santa Catarina. A fauna e flora são-joseense preservada nas áreas públicas e privadas, perto das BRs 376 e 277, entre Tijucas do Sul, Morrestes e Guaratuba, compõe uma ampla biodiversidade, sendo a Mata Atlântica a partir de São Paulo, passando pelo Paraná, chegando até o sul de Santa Catarina. O projeto conservacionista em três estados, que formam uma “Mini Amazônia”, gerou a criação do programa A Grande Reserva Mata Atlântica, iniciativa da Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem (SPVS).

A Serra da Guaricana foi ponto de reconhecimento da Organização Não Governamental SPVS. Com Morrestes e Guaratuba, a serra foi colocada no programa A Grande Reserva. De acordo com o diretor executivo da SPVS, Clóvis Borges, a localidade está dentro do Parque Nacional Guaricana por causa da importância ecológica.

“Na Guaricana existem montanhas e montanhas de mata primária que se sucedem em direção ao litoral, produzindo o que chamamos da Indústria Verde, gerando água, oxigênio, pesquisa do passado e demais garantias do presente e do futuro”, disse Clóvis Borges.

Recentemente, São José dos Pinhais foi sobrevoada pelo biólogo espanhol, Ignacio Jimenez, representante da Conservation Land Trust (CLT). A CLT é uma das maiores ONGs do Planeta, com sede na Patagônia Chilena e Argentina.

“Eu vi por cima este corredor biológico que vai de municípios próximos de São Paulo, como Capina Grande do Sul, até São José e o litoral do Paraná com Santa Catarina. No dia seguinte, fui conhecer de perto o Castelhanos e o Parque do Guaricana, lugares lindos e preservados”, elogiou Ignacio Jimenez, acompanhado da equipe do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio)

“A divisa entre São José dos Pinhais e Guaratuba, e São José dos Pinhais e Morrestes, possui extensa diversidade de fauna e flora, comparado com o Litoral. São José tem planícies, regiões de planaltos, de florestas com araucárias, menor concentração de escarpas e enorme umidade, explicou Luiz Faraco, doutor em Meio Ambiente e chefe do Parque Guaricana como agente ambiental do ICMBio.

A Eco Guaricana, marca de Eco Turismo, com mais de cinco anos de atividade, participou da visitação em terra do reconhecimento na Serra da Guaricana via SPVS, CLT e ICMBio. O jornalista Marcos Rosa Filho apresentou os passeios em reservas particulares da região que envolveram, desde 2013, mais de 3 mil participantes, incluindo 500 crianças.

“Quem investe nas vivências nas chácaras e reservas está colaborando diretamente para a preservação das áreas particulares que se somam às áreas públicas. A presença de técnicos, reconhecidos, internacionalmente, nesta grande ação de conservação da SPVS, confirma que o caminho entre Campina Grande do Sul, Bocaiúva do Sul, Curitiba, São José dos Pinhais e Guaratuba, além das outras cidades, é um dos deslocamentos mais lindos do mundo”, destaca Marcos Rosa Filho.


Confira o primeiro episódio da série A Grande Reserva
"Histórias da Grande Reserva Mata Atlântica"! - Você vai conhecer mais sobre a Mini Amazônia, lar de belos animais, de uma rica vegetação e de pessoas incríveis.
https://www.youtube.com/watch?v=lB1OgENX1Aw

PautaSJP.com

Mais imagens desta notícia

Compartilhe esta notícia no Facebook: