Após armadilha, cães suspeitos de matarem ovelhas foram capturados em SJP


Caso envolvendo chácara na Colônia Zaniolo teve até opinião de chupa cabras, mas técnicos tratam de mortes por cachorros domésticos em fúria

Blog Single Os dois animais capturados foram levados pelo Departamento Municipal de Zoonoses
Nos últimos dias, as imagens de seis ovelhas, 17 galinhas e nove patos mortos após ataques em uma chácara de São José dos Pinhais dividiram opiniões. A dúvida é se foram mordidas de cães ferozes, felinos ou bichos folclóricos como chupa cabras. Veterinários e biólogos cravaram que cachorros domésticos em fúria causaram o estrago. Ontem (02), uma ovelha foi colocada dentro de uma armadilha que atraiu dois cães capturados. Antes da captura, mataram uma gata e dois filhotes.

“Nós seguimos as orientação da Guarda Municipal para proteger o restante dos animais e ficamos monitorando com instalação de câmeras. Imediatamente, chamamos a Secretaria de Meio Ambiente para ver os dois cães, um macho e fêmea, que entraram de madrugada. Agora é esperar o diagnóstico do departamento de zoonoses para sabermos se os cães possuem raiva ou alguma outra doença, até mesmo aguardar para ter certeza que não foram outros bichos que atacaram também outras propriedades”, comentou Celia Regina Alberti Dresch, conhecida na região pela dedicação às abelhas sem ferrão.

Na avaliação dos técnicos da Prefeitura, tratam-se de dois cachorros de médio e grande porte com capacidade de terem feito as mortes. “Fizemos uma avaliação primária e em breve, com os cachorros em observação, será elaborado um exame clínico que pode acarretar em eutanásia”, explicou o diretor da Biodiversidade da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Alex Justus da Silveira.


Pegadas e mordidas caninas
Depois de postagem na internet de fotos das pegadas e das mordidas nos animais mortos, especialistas como biólogos e veterinários descartaram a responsabilidade de felinos como onça parda ou jaguatirica. Rogério Cunha de Paula é pesquisador no Instituto Pró-Carnívoros, organização de estudos e proteção de animais silvestres localizada em Atibaia, São Paulo. “Mesmo pelo computador, ao ver as pegadas e o tipo das mordidas, é possível indicar que são ataques de cachorro doméstico. Um predador de mato não ataca diferentes espécies”, avaliou Rogério de Paula, cuja opinião foi compartilhada por proprietários de chácaras e fazendas que relataram histórico de criações mortas por cães que faziam parte das propriedades.

PautaSJP.com

Mais imagens desta notícia

Compartilhe esta notícia no Facebook: